terça-feira, Novembro 15, 2005

Estudo Biblico - Reunião obreiros Grande Lisboa

Tema: Avivamento Genuíno

Texto:
Ouvi, Senhor, a tua palavra, e temi: aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos a notifica: na ira lembra-te da misericórdia. – Habacuque 3.2

Não extingais o Espírito. – I Tessalonicenses 5.19

Introdução:
     Nos tempos que correm muito se tem falado de avivamento; são dezenas as igrejas que, nos dias que correm, se intitulam igrejas do Avivamento.
     Ao introduzir esta nossa reflexão devo dizer que uma igreja espiritualmente morta é um ultraje ao evangelho de Cristo.
A vivência em avivamento não deve ser a excepção entre o povo de Deus mas deve ser a normalidade - a necessidade de avivamento deve ser uma constante entre os filhos de Deus pois só assim Deus vivamente se manifesta.
     Sem dúvida que quando pensamos em avivamento ficamos entusiasmados pois recordamo-nos das coisas maravilhosas que acontecem quando Deus se move. Pessoas sendo salvas, vidas transformadas, vidas cheias do Espírito Santo, Milagres de Deus.
     Tenho que gritar bem alto: “Deus preciso de avivamento, mas não de um avivamento qualquer - um que venha da Tua parte, um que seja feito pelo Teu Espírito!”

  1. O que não é avivamento bíblico


  • Avivamento não é um conjunto de actividades programadas pela igreja


  • Avivamento não é uma acção da igreja, mas de Deus - Avivamento é uma obra soberana e livre do Espírito Santo.


  • A igreja não promove e nem faz avivamento. A igreja não agenda e nem programa avivamento - A igreja só pode buscar o avivamento e preparar o caminho da sua chegada.


  • Avivamento não é mudança doutrinária


  • Nos dias que correm associa-se avivamento a novas descobertas, a novos ensinos, a novas doutrinas e práticas, mas isso não é o verdadeiro avivamento, não é avivamento dos céus é produção da terra.


  • Desprezar a sã doutrina é querer construir um edifício sem quaisquer fundamentos;


  • Avivamento sem doutrina, é mero emocionalismo, são simples experiências pessoais e egocêntricas.


  • Deus está comprometido com a verdade e a sua Palavra é a verdade logo todo o avivamento precisa estar fundamentado na Palavra.


  • O avivamento precisa estar assente nas Escrituras e não em sonhos e visões;


  • O avivamento tem que estar dentro dos limites das Escrituras e não debaixo de revelações pessoais subjectivas.


  • Avivamento não é mudança litúrgica (forma de culto)


  • Muitas pessoas associam avivamento a uma nova forma de culto, substitui-se os hinos do hinário por corinhos e temos o avivamento.


  • Muitos crentes confundem avivamento com a forma de culto, com liturgia animada, com coreografia, com coros ritmados, etc.


  • Avivamento não é louvor mais moderno;


  • Louvor não é encenação, ritualismo, emocionalismo. Não é seguir formas preestabelecidas, como bater palmas, dizer aleluia, amén e levantar as mãos.


  • A Bíblia ordena levantar mãos santas ao Senhor, num gesto de rendição e entrega (I Tm 2.8). Louvor em que a pessoa apenas pula, mas não vive em santidade, é ofensa a Deus. Louvor que apenas verbaliza coisas bonitas para Deus, mas não leva Deus a sério na vida é fogo estranho diante do Senhor


  • Louvor que não produz mudança de vida, quebrantamento, obediência e não leva as pessoas a confiarem em Deus, não é louvor, é barulho aos ouvidos de Deus.


  • E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão estas coisas, temerão e confiarão no Senhor – Salmo 40.3


  • Há três princípios que apreendemos neste salmo de David: a) A origem do cântico é Deus e não o homem; b) em segundo lugar vemos a natureza deste cântico, é um cântico que expressa uma nova natureza, nova vida; c) por fim vemos o objectivo do louvor um hino de louvor a Deus; d) quando fazemos desta maneira os resultados são óbvios: as pessoas temem a Deus e confiam em Deus.


  • Deus não procura adoração, Ele procura adoradores.


  • Devemos, no entanto, deixar claro que todo o verdadeiro avivamento muda a nossa forma de cultuar a Deus; o ritualismo e o formalismo, dão lugar à liberdade no Espírito, o culto torna-se num acontecimento singular, totalmente novo, onde Deus tem liberdade para fazer aquilo que quer no meio do seu povo.


  • Avivamento não é uma mera ênfase carismática


  • A igreja hoje está correndo mais atrás de sinais do que atrás da santidade.


  • A igreja hoje empolga-se mais com milagres do que com vidas cheias do Espírito.


  • A igreja hoje anseia mais as bênçãos de Deus do que o Deus das bênçãos.


  • Uma igreja pode ter todos os dons sem ser uma igreja avivada. Avivamento não é conhecido pelos dons do Espírito, mas pelo fruto do Espírito.


  • A igreja de Corinto possuía todos os dons, apesar disso, era uma igreja imatura, onde existiam divisões, lutas fratricidas, imoralidade, etc.


  • Avivamento não é simplesmente uma moda - é uma necessidade.

  1. Coisas que impedem o avivamento


  • A negligência para com as coisas do Senhor;


  • As divisões internas enfraquecem a obra de Deus e colocam-nos a todos debaixo de um constante perigo.


  • Desprezo pela Palavra de Deus e pelos seus mandamentos;


  • A idolatria – tudo aquilo que ocupa na nossa vida o lugar que pertence ao Senhor;


  • O orgulho pessoal, a auto-suficiência;


  • A falta de Santidade e de entrega a Deus;

  1. A Dupla Abrangência do Avivamento


  • O sentido estrito do avivamento


  • Estritamente falando, avivamento é algo que acontece unicamente no meio do povo de Deus. O Espírito Santo renova, reaviva e desperta a igreja sonolenta.


  • É uma experiência na vida da Igreja quando o Espírito Santo realiza uma obra incomum. Ele a realiza, primeiramente, entre os membros da Igreja: é um reviver dos crentes. Não se pode reviver algo que nunca teve vida; assim, por definição, o avivamento é primeiramente uma vivificação, um revigoramento, um despertamento de membros de igreja que se acham letárgicos, dormentes, quase moribundos;


  • Quando há esse impacto da obra do Espírito de Deus na vida da igreja, os resultados imediatos do avivamento são sentidos no povo de Deus: senso inequívoco da presença de Deus; oração fervorosa e louvor sincero; convicção de pecado na vida das pessoas; desejo profundo de santidade de vida e aumento perceptível no desejo de pregação do evangelho.




  • O sentido amplo do avivamento


  • Não somente a igreja é beneficiada e atingida pelo avivamento - o mesmo alcança a sociedade fora da igreja.


  • A sociedade não-cristã volta-se para Deus em resposta ao evangelho de Cristo.


  • O avivamento não se limita aos crentes e à igreja, mas muda a moralidade da sociedade, da região do país, causa um impacto em toda a comunidade onde a igreja está instalada.

  1. Como alcançar o avivamento


  • Desejando-o: com sinceridade, piedade e diligência;


  • Buscando-o: Pedindo-o, procurando-o;


  • Preparando-nos e preparando o caminho para o avivamento;


  • Preparamos o caminho dando prioridade à Palavra de Deus;


  • Preparamos o caminho buscando a Deus em oração;


  • Preparamos o caminho humilhando-nos com fez o povo em Ninive;


  • Preparamos o caminho arrependendo-nos dos nossos maus caminhos, para que a nossa autoridade espiritual seja restaurada.


  • Preparamos o caminho quando reconhecemos que temos estado afastados de Deus (não o temos amado como Ele merece);



  1. Sinais de que o Avivamento está a chegar


  • Cristãos em declínio espiritual são quebrantados e levados ao arrependimento;


  • A fé dos crentes é renovada e fortalecida;


  • Quando a presença de Deus se torna normal e constante na vida da igreja e dos crentes;


  • Quando o pecado do mundo nos entristece e leva-nos a humilharmo-nos e orarmos pelos que nos rodeiam;


  • Quando os crentes se perdoam e reconciliam-se uns com os outros, aceitando-se, uns aos outros, nas suas diferenças;


  • Quando os cristãos estão prontos a pagar o preço para que o avivamento venha;

  1. O que o Avivamento produz


  • Preconceitos são destruídos;


  • As revelações do Espírito tornam-se frequentes;


  • Os sinais, prodígios e maravilhas do Senhor tornam-se normais entre os filhos de Deus;


  • Uma mentalidade espiritual renovada;


  • Um crescimento acentuado da igreja em todos os sentidos e direcções; pessoas diariamente se convertem e mudam de vida.


  • O entusiasmo missionário é despertado;


  • O espírito de louvor e adoração domina os corações e as vidas;

  1. Conclusão
Ao concluirmos esta nossa meditação apraz-nos dizer que procuramos um avivamento:
...Que faça os crentes saírem das quatro paredes, para um evangelismo amplo e irrestrito, antes da volta gloriosa de Jesus (Mat.24:14).
...Que traga arrependimento e confissão de pecados, motivando os crentes a temerem a Deus e a evitarem a iniquidade, causa maior da falta de curas e milagres no meio do povo de Deus (Tg.4:9; 5:16).
...Que traga de volta os crentes ao primeiro amor e a prática das primeiras obras, negligenciadas e deixadas de lado. (Ap.2:4-5).
...Que devolva aos obreiros do Senhor, a santa ousadia no falar, apontando e nomeando os pecados, sem rodeios e precauções de perder membros, amigos ou outra coisa qualquer (At.4:29,13:10,11 e Mat.3:7-10).
...Que traga de volta os dons espirituais e a divina sabedoria para usá-los correctamente, segundo a sábia revelação e orientação do Espírito de Deus, acompanhados pelos poderosos sinais de Deus (II Cor.12:31, Rom.12:6-8).
A última coisa de que nos devemos lembrar é que Deus quer outorgar-nos novos e maravilhosos avivamentos. Ele não quer fabricar ou padronizar avivamentos. Ele não quer repetir avivamentos. Ele quer avivar! Não vamos copiar um qualquer avivamento vamos dar liberdade ao Espírito para que Ele produza um avivamento único para a igreja aqui, em Almada.